Vamos ajudar você a fazer mediação de conflitos com essas 7 técnicas

Os conflitos acontecem em todos os tipos de relacionamento, e não é diferente no ambiente profissional, já que as interações humanas são passíveis de desentendimentos.

Para garantir o bom andamento das atividades empresariais, bem como o aproveitamento do tempo dos colaboradores e, consequentemente, uma produtividade mais eficiente, a tarefa de mediação de conflitos é atribuída aos líderes.

Os conflitos em ambientes organizacionais ocorrem por diversos motivos, incluindo desavenças pessoais, posicionamentos políticos e até diferenças culturais.

Entretanto, há situações em que a própria organização é a geradora de conflitos entre os colaboradores. Esses casos merecem uma atenção especial, por isso, é importante estar preparado para saber lidar com esse tipo de situação, a fim de assegurar o bom rendimento da equipe e um clima organizacional favorável ao desempenho das atividades.

Neste post, vamos ajudá-lo a fazer mediação de conflitos com essas 7 técnicas. Confira!

1. Invista em uma boa comunicação

Assegurar uma boa comunicação entre empresa e pessoas reduz as chances de falhas que podem gerar conflitos. Da mesma maneira, é necessário incentivar a integração contínua entre as equipes.

Você pode fazer isso com o auxílio do departamento de Recursos Humanos, utilizando treinamentos, por exemplo, que incentivem o compartilhamento claro de informações e exponham o detalhamento de ações e metodologias de forma clara, contribuindo para o desenvolvimento do time interno.

No entanto, quando o conflito efetivamente acontece, é necessário identificá-lo com rapidez e máxima precisão.

2. Encare que o conflito existe

Um erro frequente e muito grave dos gestores é ignorar que os conflitos acontecem. Alguns acreditam que a situação vai se resolver por iniciativa das partes envolvidas ou até mesmo com a ajuda de terceiros.

Isenção parece ser a palavra que melhor protege o líder negligente nessa hora, mas, na verdade, o que se tem é um grande erro de gestão de pessoas, com consequências graves para o time e para a empresa.

A questão é que ignorar o assunto que poderia ter sido resolvido de forma imediata pode contribuir para um desequilíbrio no clima organizacional, fomentando ainda mais o risco de que os conflitos já iniciados continuem ganhando proporções ainda maiores.

3. Favoreça a conciliação entre as partes

A conciliação é uma maneira de intermediar os conflitos utilizando a comunicação. Nesse caso, é importante orientar as pessoas envolvidas para ceder em algumas questões pessoais e estabelecer o alinhamento dos objetivos, a fim de não prejudicar a imagem desses profissionais e, consequentemente, da empresa.

De forma geral, conseguimos alcançar a conciliação utilizando o diálogo entre as partes. É fundamental lembrarmos que uma conciliação não deve, necessariamente, satisfazer a todos, mas encontrar um eixo de equilíbrio comum para que os envolvidos possam seguir com seus objetivos pessoais e profissionais alinhados.

4. Procure sempre promover soluções em conjunto

O diálogo e o respeito pelas opiniões e sentimentos individuais deve nortear constantemente o trabalho dos líderes na mediação de conflitos.

Reúna as pessoas envolvidas em um local reservado e, de forma amigável, exponha suas considerações sobre o assunto que gerou a situação conflituosa. Ouvir é muito importante, pois isso acalma os envolvidos e dá a eles a possibilidade de dialogar.

Ofereça as melhores soluções para as questões apresentadas, sempre respeitando a opinião, cultura e crenças dos envolvidos. Após conversar com todos, continue observando o desdobramento do caso.

Verifique se a intervenção no conflito realmente melhorou a situação, veja se são necessários novos encontros para debater o assunto ou mesmo se é preciso investir em treinamentos mais complexos, que incluam não apenas os envolvidos no conflito, mas todo o time de colaboradores.

5. Fique atento ao clima organizacional

Como vimos logo no início deste post, um conflito entre profissionais de uma empresa pode afetar o clima organizacional como um todo. Isso ocorre porque o clima de negatividade influencia todo o ambiente, reduzindo a produtividade da equipe e sobrecarregando-a.

Nesse contexto, é comum que equipes rivais se formem ou que alguns colaboradores se sintam solidários com uma das partes, em detrimento da outra. Como resultado dessa situação, surgem equipes desequilibradas e desalinhadas e que caminham em sentidos opostos aos objetivos organizacionais.

Fique atento a esses sinais e atue para preveni-los, utilizando uma comunicação clara e aberta com todos os membros da equipe.

6. Recorra à arbitragem, se preciso

A arbitragem, muito conhecida no meio jurídico, é uma forma não tão comunicativa de conciliação. Na prática, a arbitragem é feita por um profissional ou por uma equipe isenta ao conflito, com capacidade técnica para avaliar a situação e sugerir uma resolução com base em seu parecer profissional sobre o problema.

Nesse caso, a arbitragem pode ser realizada por um conselho interno da empresa, formado por membros do RH e outros gestores. Vale ressaltar que não existe um envolvimento das questões pessoais dos colaboradores, mas somente uma avaliação e recomendação profissional.

A arbitragem deve ser usada como último recurso, quando o diálogo entre os envolvidos já não for mais possível.

7. Crie seu próprio plano de ação

Como gestor, provavelmente você conhece bem a equipe e sabe como ela pode reagir diante dos desafios empresariais. Nesse caso, é mais fácil mediar os conflitos, pois você pode prevê-los. Como vimos, uma comunicação mais efetiva é capaz de prevenir possíveis problemas.

Já quando o assunto é relacionamento entre colaboradores, será preciso ter muita habilidade. Um pouco de conhecimento de psicologia, comunicação e até mesmo direito será necessário. Além disso, lembre-se de praticar a empatia, ou seja, a habilidade de se colocar no lugar do outro.

Somos seres humanos trabalhando com outros seres humanos. Se essa premissa estiver na sua mente, você já tem um forte pilar para fazer um excelente trabalho em função do desenvolvimento pessoal e profissional da sua equipe.

Nesse sentido, o melhor plano é estar preparado para lidar com gente, o que inclui sentimentos conflituosos, medos e outros fatores subjetivos que apavoram a maioria dos gestores, mas nada que uma mente aberta e um olhar focado na solução do conflito não resolvam.

Não se esqueça também de que, para gerenciar qualquer conflito, você deve agir com isenção e justiça. Nesse sentido, apurar o problema separadamente com cada parte envolvida é o primeiro passo para entender todos os lados. Isso mostra que você está disposto a buscar uma solução equilibrada para todos os envolvidos.

Se você gostou deste post sobre mediação de conflitos, baixe nosso e-book Guia completo: saiba fazer treinamentos na empresa!