Fazer a gestão dos recursos humanos nem sempre é um mar de rosas. Lidar com pessoas difíceis é um desafio, pois, no ambiente corporativo, a liderança tem que dar conta de um trabalho produtivo, além de incentivar o crescimento dos colaboradores. Como equilibrar todas essas medidas sem descuidar de nenhuma?

Para auxiliar você nesse momento, separamos 5 dicas essenciais para gerir melhor as pessoas do seu time e saber evitar a falta de qualidade, tanto nas tarefas quanto nos relacionamentos. Além disso, manter tudo balanceado colabora também com o clima organizacional. Quer se aperfeiçoar? Continue lendo!

1. Estude os tipos de personalidade

Embora cada ser humano seja singular, há um grupo de características em comum que, quando estudadas, nos possibilita entender melhor as outras pessoas bem como aspectos próprios. O psicólogo Jung se aprofundou nessa temática, mesclando esses pontos e estabelecendo 16 tipos psicológicos, separados em 4 grandes grupos.

Além disso, é possível também buscar pelos arquétipos, que dizem respeito às aspirações individuais. Quando tem esse conteúdo em mente, sua percepção fica treinada e, assim, você identifica com facilidade a qual grupo a pessoa pertence, consequentemente, sabendo a melhor abordagem para lidar com ela.

2. Diversifique o formato do feedback

Uma das maiores dificuldades em lidar com pessoas difíceis é se comunicar de uma forma produtiva com elas. Diante disso, considerar a geração desse colaborador é o primeiro passo para saber interagir com ele, a fim de entender com qual linguagem ele se identifica.

Esse é um fator também para saber o que a pessoa quer dizer, pois a forma dela de se comunicar pode não passar a real mensagem da situação. Busque por esse parâmetro de proximidade, pois semelhantes tendem a ser aceitos mais facilmente.

3. Dê exemplos positivos

Um líder que não dá exemplo abre um espaço para ataques. Não dê motivo para confusão. Mantenha uma conduta produtiva e, acima de tudo, trabalhe ao máximo para não ser arrogante em seus discursos.

Não dá para orientar um colaborador numa direção que você mesmo não pratica, certo? Coloque-se no lugar dele. A gestão de mudança sempre começa pelos líderes. Bons atos são contagiantes e tendem a “converter” até as pessoas mais difíceis.

4. Pratique a paciência

Em primeiro lugar, você não sabe o motivo pelo qual a pessoa está agindo ou falando de determinada maneira. Inteligência emocional, tolerância, sensibilidade e empatia são elementos indispensáveis para trabalhar o desenvolvimento de pessoas.

Lembre-se de que o objetivo é ajudar o colaborador a se desfazer do que o prejudica, melhorando assim sua performance e empoderando a carreira dele. Pessoas que sentem os efeitos pessoais positivos vindos do ambiente corporativo tendem a ser mais engajadas.

5. Aprimore a sua liderança

Para conseguir conduzir uma equipe ao sucesso, é preciso ponderar as interações individuais. Para saber como e quando agir, separando informações importantes para tomar as decisões, a figura que coordena essas relações precisa ser plenamente capacitada.

Não apenas desenvolver o perfil de gestão, mas também o de liderança, buscando aprender a cada dia técnicas para elevar a experiência do time e ser capaz de converter pessoas que são consideradas difíceis em oportunidades de desenvolvimento.

Experiência e análise compõem o bom líder

Nem sempre todo mundo acerta de primeira. Busque a medida viável entre valorizar a tentativa e dispensar novos lances em determinado intuito. Entendendo o perfil de cada um, pode-se delegar de acordo com a capacidade de carga com mais clareza.

Em outras palavras, é importante saber quais ações vão trazer os resultados reais. Não adianta querer colher bananas de uma mangueira, certo? Mas as mangas em nada são inferiores às bananas e também têm seu valor. Basta saber apreciar.

Lidar com pessoas difíceis nem sempre precisa ser visto como um ponto negativo. Pense nisso como uma chance de colocar a sua experiência em prática bem como o seu poder analítico e sua visão. Os acertos são demonstrados nos resultados.

Você com certeza já passou por situações de conflito por divergência de personalidade e opinião: comente este post e compartilhe conosco a sua história!