Em mercados cada vez mais dinâmicos devido à alta concorrência, fazer a gestão de mudanças é necessário para todas as empresas que pretendem se manter competitivas em seus segmentos de atuação.

Nesse sentido, a liderança precisa estar preparada para gerir pessoas e processos em cenários desafiadores. Isso porque, quando a corporação cria iniciativas e projetos para elevar resultados ou aproveitar oportunidades, gera transformações que interferem nas etapas organizacionais.

Isso ocasiona alterações significativas dentro da organização e, consequentemente, requer o uso de tecnologias. É necessário, também, aplicar novas competências e habilidades por parte das pessoas, o que exige bastante dos líderes para administrar esse ambiente desafiador.

Neste post, listamos quais são as principais características esperadas dos líderes para a gestão de mudanças. Acompanhe!

O que é gestão de mudanças?

Gestão de mudanças é a maneira como a liderança da empresa prepara, apoia e oferece subsídios necessários para que os colaboradores tenham condições de abraçar as transformações com sucesso. O objetivo maior consiste em impulsionar os resultados organizacionais.

O cenário de gestão de mudanças demanda uma abordagem estruturada para conduzir o público interno a passar de seus estágios atuais para os futuros.

Quando é necessário aplicá-la na empresa?

A gestão de mudanças exige ambientes mutáveis. Por isso, se dá em companhias que atuam em mercados que requerem agilidade na tomada de decisões e na adaptação de processos. Nos dias de hoje, esse fenômeno acontece em boa parte das corporações.

A gestão de mudanças na empresa ocorre em estruturas, projetos, funções, processos e nas atividades de liderança. Devido a essa complexidade, os líderes precisam desenvolver habilidades para orientar seus subordinados rumo ao sucesso.

O resultado esperado da gestão de mudanças no universo corporativo é ver os trabalhadores adaptados aos novos procedimentos e adotando, de maneira mais rápida, as diretrizes transmitidas pela administração.

Essa capacidade de envolver as pessoas a abraçar modificações não acontece por acaso: requer preparação e uma abordagem estratégica.

Qual o papel das pessoas na gestão de mudança?

Nesse cenário, a gestão de pessoas também deve figurar como preocupação da liderança no processo de transformação. É preciso trazê-las para perto, pois a empresa não muda, mas as pessoas sim!

A reação esperada dos seres humanos com respeito a modificações é a resistência. No entanto, esse quadro pode ser revertido se as transições forem bem planejadas e estruturadas.

A gestão de mudanças, por vezes, exige que o líder saiba o que ajuda os indivíduos a realizar uma transição de sucesso.

Qual o melhor momento para ensinar uma nova habilidade, quais mensagens precisam ouvir, quando e de quem, como capacitar as pessoas para demonstrarem novas atitudes e o que faz as mudanças se consolidarem na rotina delas?

Portanto, fica claro que, em uma implementação de mudança, um líder deve estar preparado para ajudar a equipe e envolvê-la no processo de forma definitiva.

Por que envolver as pessoas nesses processos?

As pessoas que integram a organização são as responsáveis pelas verdadeiras alterações. Nenhum líder é capaz de incrementar uma grande transformação sozinho. Levando esse ponto em consideração, o investimento de tempo para educar e convencer as pessoas sobre a relevância da troca consiste em elemento importante.

Se cada colaborador não tiver sucesso em suas transições pessoais, ignorando a mudança e não aprendendo uma nova maneira de agir, pensar e fazer, não haverá transformação real.

Como começar?

Toda gestão de mudanças começa pelo foco e pelo cuidado relacionado aos indivíduos. Assim, é preciso ter em mente qual resultado se espera e por que mudar.

Ser crítico com a nova realidade é primordial para construir um alicerce de argumentos capazes de trazer um engajamento de equipe mais efetivo.

As pessoas, no geral, têm resistência a novidades. Por essa razão, ter um motivo muito claro para as transformações que precisam ser feitas é o primeiro passo para estabelecer um foco.

Como um bom líder pode se preparar para ela?

Desenvolver uma mente visionária, além da sensibilidade para lidar com pessoas, é o pontapé inicial para virar um gestor de mudanças.

Levar o aprendizado adquirido no processo de mudanças até a equipe é vital para garantir o sucesso dos processos de transição. Assim, permite-se que os funcionários estejam mais qualificados e prontos para atuar nas modificações necessárias.

Além disso, é preciso estar disposto a investir em treinamento e desenvolvimento para a equipe e também para a alta gestão. Deste modo, todos podem adquirir cada vez mais embasamento para participar dos processos de modificação, cada qual com sua função.

Quais as principais habilidades de um líder de gestão de mudanças?

Para que o líder tenha condições de implementar novidades na companhia, o estabelecimento de determinadas competências que o guiarão ao longo desse caminho é muito importante.

Destacamos, abaixo, algumas características necessárias para desenvolver uma gestão de mudanças qualificada. Leia!

Comunicação

Saber comunicar as diretrizes de mudança de forma clara para todos os níveis hierárquicos é fundamental para conquistar o sucesso na gestão de mudanças.

Além de reuniões periódicas com o time, deve-se pensar e se dispor a manter veículos de comunicação que fomentem os ideais de mudança e também sejam capazes de educar toda a equipe para os processos de transição.

Competências como saber ouvir e empatia também são primordiais para elevar o potencial de comunicação do líder.

Feedback

O feedback faz parte da comunicação e não pode ser deixado de lado em processos de mudanças.

É por meio dele que o líder tem condições de alinhar toda o time ao longo do caminho rumo aos objetivos traçados.

Planejamento

A principal habilidade para gerenciar mudanças consiste em saber definir um plano de implementação.

Planejar tudo é um ponto indispensável para que se possa fazer ajustes quando necessário.

Relacionamento com pessoas

Muitas vezes, a liderança se depara com profissionais com competências individuais adequadas. Entretanto, devido às mudanças rápidas e profundas, essas pessoas podem apresentar dificuldades de ajuste às novidades.

Assim, saber lidar com anseios alheios, quebrar resistências ao novo e saber motivá-las no caminho do desenvolvimento da equipe figura como competência altamente requisitada para os líderes.

Foco em resultados

Ter foco nos objetivos organizacionais que serão alcançados com a mudança é vital para manter o foco na qualidade das operações e atingir o resultado esperado.

Do contrário, o líder corre um grande risco de ficar no meio do caminho e não conquistar os objetivos de um bom gerenciamento perante modificações.

Como vimos ao longo do texto, a gestão de mudanças exige do líder uma série de competências e habilidades para implantar processos e, principalmente, envolver pessoas em prol dos objetivos da organização.

Se gostou do conteúdo sobre gestão de mudança, entre em contato conosco para saber como podemos ajudá-lo!