Geração Y: o que querem os novos profissionais e como retê-los?

Nos últimos tempos, o número de colaboradores pertencentes à geração Y tem elastecido significativamente no mercado de trabalho. Com isso, novas formas de gestão de pessoas dentro das empresas tornam-se necessárias para a retenção desse grupo bastante distinto das gerações antecessoras.

Quer entender tudo sobre a geração Y no mercado de trabalho? Acompanhe agora!

Quem é a geração Y no trabalho?

Diferentemente dos baby boomers e da geração X, a geração Y prioriza com mais intensidade o bem-estar e a satisfação no ambiente de trabalho. Por isso, empresas que valorizam os colaboradores de acordo com suas características conseguem chamar mais atenção desses jovens, também chamados de millennials.

Assim, o achatamento das pirâmides hierárquicas de poder nas organizações é um ponto bastante considerado diante da dificuldade deles, de modo geral, de lidar com submissões. Cooperação e inclusão funcionam melhor para esse grupo de colaboradores.

A flexibilidade de horários também é outro aspecto absolutamente relevante na hora de escolher a empresa onde trabalhar. Por isso, a modalidade home office vem ganhando força no mercado de trabalho.

Além disso, a geração Y é marcada pela necessidade constante de se manter motivada no trabalho. Assim, a sensação de exclusão e intolerância, ainda que momentânea, é um dos grandes receios desse grupo, que pode ensejar até no seu desligamento das empresas sem pensar duas vezes.

Quais são as tendências empresariais desses jovens?

Diante desse panorama, empresas de diversos setores têm implementado políticas e medidas internas a fim de moldar a cultura organizacional com novas perspectivas mais atraentes a esse perfil de colaborador.

As startups, como um modelo de negócio já criado em meio ao dinamismo e maior informalidade das relações de trabalho, detêm uma cultura naturalmente compatível às características da geração Y. Isso é justificado pelo fato de que muitos de seus empreendedores fazem parte desse público nascido nas décadas de 80 e 90.

Nesse sentido, há uma tendência mundial de implementação de políticas nas empresas a fim de adequar a cultura organizacional com esse novo perfil, por meio de algumas medidas práticas de gestão.

As empresas localizadas na região do Vale do Silício, no estado da Califórnia, nos Estados Unidos, são os melhores exemplos dessa mudança. Companhias como Google, Netflix, Facebook, Intel e Dell são mundialmente reconhecidas em virtude da flexibilidade e inclusão de seus colaboradores em ambientes mais convidativos ao trabalho.

Como atrair e reter os talentos da geração Y?

A adaptação da cultura organizacional tornou-se uma necessidade das empresas, visto que, em pouco tempo, a grande maioria dos colaboradores será composta por membros da geração Y. Pensando nisso, confira agora 5 dicas de como atrair e reter esse grupo!

Cultura de feedback

A necessidade de satisfação contínua da geração Y pode ser suprida por meio da entrega de comentários objetivos e frequentes sobre seu desempenho. Os feedbacks permitem que esses colaboradores compreendam melhor os seus erros e como evitá-los, mantendo-os sempre engajados.

Investimento em treinamentos

Tais medidas demonstram o interesse das empresas em seus funcionários. Por isso, oportunizar meios de capacitação no trabalho é outra forma de retenção desses talentos. Você pode fazer isso por meio de treinamentos com palestras, cursos, workshops etc.

Plano de carreira

As possibilidades reais de crescimento profissional influenciam na continuidade ou não desses funcionários nas companhias. Nesse sentido, os requisitos à progressão devem ser claros e precisam valorizar a meritocracia.

Política de benefícios

Somente a criação de um plano de carreira com aumentos salariais não garante a motivação desses colaboradores. A concessão de benefícios, como plano de saúde, é igualmente apreciada.

Flexibilidade de horários

A rigidez com os horários de entrada e saída é outro aspecto pouco atraente. Afinal, essa geração acompanhou de perto a rotina cansativa de seus pais ao longo dos anos. Por isso, companhias que valorizam a flexibilidade de horários — com a possibilidade, por exemplo, de trabalhos home office — garantem seu diferencial nas contratações.

Sua empresa deve estar atenta às peculiaridades desse perfil crescente de colaboradores, adotando políticas flexíveis e compatíveis para as novas relações de trabalho. Com isso, você garante a entrada e permanência dos melhores talentos da geração Y na sua empresa.

Quer mais dicas para aprimorar cada vez mais sua gestão? Então, não deixe de nos seguir no Facebook, LinkedIn e Twitter!