Capacidade produtiva: trabalhar de acordo com o perfil comportamental

A realidade atual do mercado demonstra que o grande diferencial das empresas competitivas e bem-sucedidas está no potencial humano. A capacidade produtiva de uma organização pode ser aumentada se ela souber trabalhar de acordo com o perfil dos seus colaboradores.

Por meio dessa realidade, é possível entender que um gestor, ao elaborar estratégias e metas que visem o desenvolvimento desses profissionais, pode aumentar de forma significativa a capacidade produtiva da empresa.

Neste post, mostraremos como um perfil comportamental bem estruturado pode melhorar a moral da sua equipe e, claro, elevar a produção de maneira substancial. Confira!

O que é capacidade produtiva?

Capacidade produtiva, falando em uma linguagem simples, é a quantidade máxima de produtos que uma empresa consegue produzir em um determinado período de tempo — em horas, semanas ou meses. Tendo esse discernimento, você consegue perceber como está sua produção: se há excessos ou se está abaixo do esperado.

Um comércio, por exemplo, costuma aumentar sua capacidade produtiva em épocas festivas, já que a demanda é maior. Para suprir todos os pedidos e não deixar os clientes na mão, é necessário aumentar a quantidade de produtos no estoque.

No entanto, é preciso agir com cautela e estratégia para não sofrer o efeito contrário, pois, se a produção for maior que as vendas, essa empresa terá um estoque abarrotado e um enorme prejuízo.

Para resolver o problema citado, um bom time de vendas, organizado de acordo com perfis comportamentais, poderia ser a solução. Não adianta ter excelentes ideias e vontade de produzir se sua equipe não está sendo bem aproveitada.

O que são perfis comportamentais?

O perfil comportamental é uma poderosa ferramenta para identificar qualidades e fraquezas dos colaboradores. Assim, é possível distribuir funções de maneira coerente com o potencial. Se cada pessoa trabalhar conforme suas individualidades, a tendência é que se consiga uma equipe mais motivada e eficiente.

Conhecendo o perfil de cada um, dificilmente um gestor será surpreendido, pois ele sabe o potencial e limite do seu colaborador. Entenda os principais perfis comportamentais e suas características:

Comunicador

As pessoas desse perfil são extrovertidas, falantes e exercem influência e empatia sobre os demais, além de trabalharem muito bem em grupo. São excelentes comunicadores e possuem uma personalidade criativa e positiva, entretanto, não trabalham bem em ambientes monótonos e parados.

O comunicador da equipe é aquele que melhora a moral do grupo devido à autoconfiança que ele costuma passar. É necessário ficar atento, pois comunicadores tendem a se perder em meio à empolgação, não seguindo à risca os prazos estipulados.

Planejador

Os planejadores são calmos, tranquilos e muito prudentes. Respondem bem às regras e costumam gostar de rotinas e ambientes controlados. Essas pessoas têm muito bom senso ao tomar decisões, são ótimos observadores, disciplinados e muito tranquilos.

Devido à sua personalidade mais passiva, não costumam trazer resultados magníficos, apesar de serem fáceis de trabalhar. Um planejador atuando em conjunto com um comunicador costuma dar bons resultados, pois este pode equilibrar o pessimismo daquele.

Executor

O perfil executor diz respeito a pessoas objetivas, que perseguem resultados como nenhum outro. São determinados, persistentes e precisam de liberdade para colocar em prática todo seu potencial.

Os executores costumam ser independentes e gostam de trabalhar sozinhos, não sendo ideais para atividades em grupos. Equipes com muitos executores tendem a não trabalhar bem com outros departamentos e ter dificuldade de lidar com decisões importantes.

Analista

Esse perfil é extremamente detalhista e perfeccionista — como consequência, são os mais devastados pela pressão. No entanto, áreas que exigem alto grau de especialização atraem muitos analistas, já que eles desenvolvem trabalhos precisos e irretocáveis.

Devido ao excesso de cautela, uma equipe com muitos analistas tende a ser indecisa e de difícil convivência, pois eles costumam ser muito críticos e orgulhosos. Em áreas que demandam conhecimento, a falta deles pode trazer resultados imperfeitos e mal executados.

Como avaliar e identificar os perfis comportamentais?

O método DISC foi desenvolvido pelo psicólogo William Moulton Marston e pode ser aplicado pelas empresas para avaliar o perfil comportamental dos funcionários. Nesse teste, o colaborador responde a algumas perguntas e as respostas são agrupadas conforme as escolhas. Os grupos são classificados de acordo com as letras, que significam:

  • Dominance (em português, dominância): relacionado à capacidade de lidar com desafios. Pessoas desse perfil são objetivas e competitivas;
  • Influence (influência): capacidade de influenciar os demais. São pessoas comunicativas e otimistas;
  • Steadiness (estabilidade): indica como o indivíduo lida com mudanças e imprevistos. Pessoas desse perfil são pacientes e calmas;
  • Conscientiousness (conformidade): capacidade de lidar com regras. Esse perfil está relacionado ao perfeccionismo e ao comportamento detalhista.

Importante ressaltar que esse método não avalia inteligência ou capacidade — apenas define o estilo de comportamento que essa pessoa se enquadra.

Por que avaliar o trabalho de acordo com o perfil comportamental?

Existe uma citação muito famosa que diz o seguinte: “todo mundo é um gênio. Mas se você julgar um peixe pela sua habilidade de subir em árvores, ele viverá toda a sua vida se sentindo um estúpido”. Pensando dessa forma, fica mais fácil entender o motivo pelo qual o trabalho de cada um dos seus colaboradores deve ser avaliado de acordo com o perfil que ele apresenta.

Se você compreende que um dos seus funcionários apresenta um perfil planejador, mas cobra características como espontaneidade ou criatividade, é possível que esteja minando a autoestima dele em vez de estimular aquilo que ele tem de melhor: sua disciplina, responsabilidade e habilidade de tomar decisões.

Avaliar seus funcionários de acordo com o perfil comportamental pode trazer diversos benefícios. Veja!

Diminuição de turnover

Hoje, a maioria das demissões não está atrelada à falta de habilidade técnica, mas, sim, ao desvio de comportamento e frustrações. Ao saber organizar e avaliar sua equipe de acordo com suas habilidades, você evita que seus liderados se sintam desvalorizados.

Dessa forma, além de reter esses funcionários por mais tempo, também evita uma demissão errônea por não compreender o potencial dessa pessoa.

Satisfação dos colaboradores

Compreendendo as limitações de cada indivíduo da sua equipe, você pode agir com mais empatia, pois é mais fácil compreender o que motiva esse colaborador. Como consequência, a cultura organizacional muda e a comunicação melhora, fazendo com que todos se sintam acolhidos e valorizados no trabalho.

Consequente redução de custos

Como vimos, avaliar um funcionário de acordo com seu perfil diminui a rotatividade e os gastos com demissões e encargos trabalhistas. Além disso, quando se perde um colaborador, é preciso repor essa vaga com uma nova contratação, gerando mais custos e tempo para treinamentos.

Podemos concluir dizendo que todas as pessoas têm potencial para desenvolver grandes projetos — cabe ao líder saber como explorar as habilidades que cada colaborador tem a oferecer. É fundamental entender que a capacidade produtiva está intimamente ligada à formação de equipes fortes e competentes.

Incrível como certas técnicas podem mudar completamente sua maneira de liderar, não é mesmo? Se você gostou do artigo, compartilhe nas suas redes sociais para que mais pessoas tenham acesso a esses conteúdos!