Como você reage quando as coisas mudam repentinamente e aparentemente saem dos seus planos? Há muitas pessoas que ficam paralisadas ou acabam agindo sem nenhum critério diante de um cenário inusitado, justamente por não terem adaptabilidade agregada às suas lideranças.

Manter o controle, ser resiliente, conseguir trilhar caminhos inteligentes — e guiar a equipe e a atuação dela — mesmo nessas condições é uma virtude muito buscada atualmente na formação de talentos. O post de hoje é sobre isso, acompanhe!

Por que adaptabilidade é uma competência tão importante?

O mercado é tão competitivo justamente porque se movimenta o tempo todo. Diante dessa realidade, as lideranças devem ter a capacidade de se adequar rapidamente, evitando danos à equipe e à própria gestão da empresa. Pensando no desenvolvimento dessa competência, trouxemos 5 passos para colocar em prática e alcançar esse patamar. Veja a seguir!

1. Busque o autoconhecimento

Considerar seus posicionamentos atuais é a primeira dica para alcançar a adaptabilidade. Você tem facilidade em se ajustar a novas situações? Estudar a sua personalidade vai ajudá-lo a entender como concebe esses pontos.

Se você é um guardião (um dos quatro tipos psicológicos dominantes), por exemplo, é natural que tenha apego às normas, hierarquias fechadas e tradições, sendo assim mais difícil se adequar. Se você se conhece, pode trabalhar a característica e se aprimorar.

2. Melhore a tomada de decisão

É natural se sentir inseguro para tomar decisões quando a atuação se coloca em risco ou está passando por incertezas, já que esses momentos trazem muito estresse e geralmente têm bastante pressão envolvida.

Contudo, para ser um líder adaptável, é preciso criar meios para decidir sem que o desespero ou a dúvida tome conta. Mais uma vez, seu perfil deve ser considerado, mas até para os mais arrojados, é necessário buscar o equilíbrio entre análise e atitude.

Lembre-se de que a tomada de decisão, principalmente em cenários volúveis, precisa ser no tempo certo e tratar de medidas eficientes. Não se precipitar é essencial, mas é importante não ser reativo. Para tanto, é preciso se munir de ferramentas gerenciais adequadas.

3. Mude a visão sobre dificuldades

Nem tudo que é difícil é apenas uma “dor” desnecessária. Nesse sentido, seja visionário: o que essa situação pode agregar? Troque de vocabulário, pensando em desafios em vez de obstáculos.

Pense que a condição atual colabora de alguma forma para uma nova postura, que pode sim trazer vantagens para você, seja nos resultados mensuráveis, seja no seu desenvolvimento pessoal e profissional.

4. Aceite ajuda quando necessário

Muitos líderes acham que por estar em cargos mais altos, precisam fazer tudo sozinho, mesmo quando o clima está instável. A verdade é que para ser adaptável, contar com colaboração é fundamental.

Por isso, saiba delegar conhecimentos e tarefas para a sua equipe e também buscar auxílio quando isso se provar a melhor decisão a ser tomada. Ainda que você seja o único que pode bater o martelo, ouvir outras opiniões e experiências é uma forma de ter um norte.

5. Preveja cenários e se prepare

Se você tem muita dificuldade com mudanças, uma boa ideia é prever possíveis cenários, ambientando-se com a ideia antes do acontecido. Há matrizes que colaboram com essa ação, uma delas é a Análise SWOT.

Além dos pontos fracos e fortes (que estão em seu poder e são internos), as oportunidades e ameaças também são colocadas em pauta, tratando-se de agentes externos e acontecimentos fora do poder da gestão.

Diagramando cenários, você deve criar planos de ação e saídas estratégicas para possíveis situações futuras. Assim, vai encorpando a sua carreira com adaptabilidade, usando medidas inteligentes para chegar lá.

Ainda que as coisas não deem certo de primeira, a sua resiliência vai colaborar para orientar os caminhos rumo ao sucesso.

Você já passou por algum momento instável, no qual sua postura foi essencial para o resultado? Comente neste post e compartilhe a sua experiência!