4 lições de Bill Gates de gestão empresarial para alcançar o sucesso

Magnata, filantropo, curioso, visionário e pioneiro, Bill Gates é um nome à altura dos predicados. No entanto, é necessário mais do que aparência e frases de efeito para criar uma empresa de software do zero e alçá-la a um patamar bilionário — hoje, a Microsoft tem valor de mercado de US$ 645 bilhões. Além das suas competências inatas, Bill Gates pode ensinar muito sobre gestão empresarial para alcançar o sucesso.

Na biografia narrada pelo escritor Walter Isaacson no livro Os inovadores, Gates é descrito como uma criança ávida por livros e naturalmente curiosa. Apaixonado pelo aspecto lógico da programação de computadores, ele soube aplicar o mesmo estilo à gestão empresarial na Microsoft — onde atuou como diretor até 2008.

Confira abaixo algumas ações que fizeram de Bill Gates um gestor empresarial eficiente e produtivo — e que podem auxiliar nas suas estratégias:

1. Seja direto e preciso nas decisões

Bill Gates tem uma notável capacidade para memorizar palavras e números, como se a sua própria mente funcionasse sob a lógica computacional. Ele já afirmou que, durante uma época, sabia o número das placas dos carros de todos os funcionários para observar os horários de chegada e de saída.

“Quando se usa um computador, não se pode fazer declarações vagas. Só declarações precisas”, afirmou, em entrevista ao escritor Isaacson.

Não é necessário ser um workaholic obcecado com dados e placas de carro para saber tomar decisões. Mas é preciso tirar o véu emocional dos olhos e adotar uma perspectiva lógica na hora de tomar decisões, evitando desculpas e enrolações. Dessa maneira, o gestor estará agindo de acordo com os interesses do próprio negócio.

2. Nunca abandone a curiosidade

A capacidade de foco de Gates é lendária — característica que ele carrega desde criança. Por conta disso, é capaz de aprender diversos assuntos, mesmo que não estejam relacionados à sua área de atuação.

Quando jovem, seu psicólogo recomendou a leitura dos livros de Freud para ajudar a moderar o temperamento. Assim, Gates leu tudo o que podia do psicanalista alemão, mas permaneceu irascível.

A curiosidade, na verdade, é a marca de dois tipos de pessoas: os gênios e as crianças. Descobrir tudo sobre o mundo ao redor é um instinto do ser humano que, lamentavelmente, vai sendo desperdiçado ao longo dos anos escolares.

Empresários que mantêm — ou recuperam — o prazer de aprender são capazes de se informarem melhor e atuarem de maneira mais racional à frente dos negócios. O aprendizado é um processo que dura a vida inteira.

3. Saiba quando competir e quando cooperar

Apaixonado por desafios, Bill Gates sempre foi competitivo mesmo em disputas insignificantes. Essa paixão pela competição levou naturalmente à busca pela excelência. Por outro lado, ele sabe cooperar, especialmente diante de causas sociais.

A história de como a Microsoft e a Apple competiram e cooperaram ao longo do tempo é fartamente documentada. O compartilhamento — nem sempre voluntário — de tecnologias foi fundamental para o desenvolvimento da computação pessoal.

A cooperação tem outros propósitos além dos interesses da empresa — por exemplo, quando empresas do mesmo ramo se unem para desenvolver o mercado e ampliar a base de consumidores.

Cooperar não vai contra as leis da sobrevivência no mercado. Competir pode ser saudável para as empresas e para os consumidores. Basta saber quando e como adotar tais atitudes.

4. Delegue, mas com controle

“Gates é, por excelência, o líder orientado a conquistas em uma organização que escolheu a dedo as pessoas mais talentosas e motivadas”, afirmou certa vez o seu antigo sócio, Paul Allen.

Desde o Lakeside Programming Group até a complexa rede de relacionamentos humanos que se tornou a Microsoft, Gates era centralizador, mas sabia trabalhar em equipe ao lado de pessoas talentosas. Mesmo hoje, quase completamente afastado da companhia, ele dedica um dia por semana para trabalhar para a Microsoft.

A gestão empresarial é uma tarefa árdua que não pode ser feita apenas por meio de exemplos. Entretanto, saber o que outra pessoa faria no seu lugar diante de uma situação complicada pode ajudar a ter uma visão clara, livre de embaraços.

Quer adotar o estilo de Bill Gates para gerenciar a sua empresa? Talvez você queira conhecer outro titã da informática que também tinha com um jeito particular de fazer negócios: Steve Jobs.

E não deixe de baixar nosso e-book Guia completo: saiba fazer treinamentos na empresa. Baixe agora mesmo e otimize os processos de treinamento da sua empresa!